Onde tem coronavírus?

A pandemia da COVID-19

Em março de 2020, a OMS (Organização Mundial da Saúde) definiu a COVID-19 como Pandemia, termo que descreve uma enfermidade epidêmica amplamente disseminada em escala global. O primeiro caso notificado foi identificado em Wuhan, na China, no dia 31 de dezembro de 2019. Desde então, casos foram notificados em diversos países do continente asiático e posteriormente na Itália, já em fevereiro de 2020. O número de mortes e o tempo curto entre a contaminação e o óbito alertaram as organizações de saúde de todo o mundo. No Brasil, o primeiro caso confirmado foi de um homem de 61 anos que chegou de viagem da Itália no final de fevereiro de 2020.

O Coronavírus

COVID-19

Coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias e pode infectar animais e humanos. O novo agente do coronavírus (SARS-CoV-2) foi descoberto em 31/12/2019 após casos registrados na China e provoca a doença chamada de novo coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937, no entanto foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do seu perfil microscópicoque se assemelha a uma coroa. Grande parte das pessoas ao longo da vida se infecta com os coronavírus mais comuns, sendo as crianças as mais propensas. Estes coronavírus mais brandos que infectam humanos são o Alpha coronavírus 229E e NL63 e Beta coronavírus OC43, HKU1.

Os coronavírus que infectam humanos podem ocasionar desde resfriados comuns até doenças respiratórias graves, como a SRAG – Síndrome Respiratória Aguda Grave (do inglês SARSSevere Acute Respiratory Syndrome), que contaminou milhares de pessoas entre 2002 e 2003 e ocasionou a morte de mais de 8 mil pacientes em casos registrados na China, Canadá e Estados Unidos. Presume-se que a fonte imediata tenha sido as civetas, pequenos mamíferos que estavam sendo vendidos em mercados de animais vivos como alimentos exóticos. A forma como as civetas foram infectadas não está clara, embora acredite-se que sejam os morcegos os hospedeiros do vírus SARS na natureza. 

O SARS-CoV-2 (Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2), causador da doença COVID-19 (Coronavirus Disease 2019), produz sintomas semelhantes a outras doenças respiratórias sendo os mais comuns: febre, tosse, dificuldade para respirar, coriza, e em casos mais graves o paciente sofre com dores no corpo, falta de ar grave e dor de garganta. Os sintomas variam de acordo com cada paciente, entretanto o quadro se agrava consideravelmente naqueles com doenças pré-existentes como asma e bronquite, problemas cardíacos e diabetes. Existem também, os pacientes assintomáticos, que não apresentam sintomas porém são potenciais transmissores da doença e também devem permanecer no isolamento.

No cenário atual, o isolamento social é fortemente recomendado pelas instituições e órgãos oficiais de saúde de todo o mundo, como o Ministério da Saúde a OMS. Todas as pessoas que tiveram contato com um paciente infectado ou suspeito de portar o vírus devem ficar isoladas em casa por, no mínimo, 14 dias, período em que o vírus permanece ativo e extremamente transmissível.

Texto de 01 de abril de 2020. Fontes: OMS (2020) e Ministério da Saúde – Governo Federal (2020).

Skip to content